Inovação e Tecnologia

  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​​​​​​​​​​​​Inovação e tecnologia por uma cidade acessível a todos



Desempregado, Alex Souza procurou uma possibilidade de voltar ao mercado de trabalho através da qualificação. Foi quando passou a frequentar o curso técnico em Administração em um colégio público da capital baiana e conheceu um professor que mudaria o rumo de sua história. O professor o apresentou a um programa que incluía negros e negras de periferia na questão tecnológica, de inovação e de sustentabilidade. Alex foi ouvinte e assim conseguiria dar voz a diversas outras pessoas.


O curso abriu portas e um novo mundo para Alex. Um tutor, que depois seria seu colega de trabalho, ajudou-o desde então a alçar vôos mais altos como quem aprende a se lançar ao céu, mas não tem medo do que o espera além do horizonte. Afinal, dois anos de desemprego tinha preparado Alex para muita coisa.


O menino negro da periferia hoje está no Ministério Público da Bahia conversando, trocando informações, possibilitando impacto e transformação de vida para tantos outros. O projeto 'Rede Cidade Popular', do qual Alex faz parte, contempla um aplicativo que vai mapear áreas acessíveis e inacessíveis de Salvador. Habitação, urbanismo, meio ambiente, acessibilidade, mudança social e pertencimento não saem do vocabulário de Alex.


"Para mim é um entusiasmo gigantesco todos os dias". É bonito ver Alex falar. Ele diz que nunca tinha se visto como empreendedor social. Também não esperava se tornar um agente de transformação nesse contexto racial e de acessibilidade. 


"A minha questão com o empreendedorismo está voltada à questão da mudança, da transformação, da inclusão, do direito à cidade, principalmente para os negros, pessoas que são deixadas de lado há muitos anos já e que merecem uma reparação em um contexto maior dentro da cidade, que é uma cidade negra, mas que, infelizmente, ainda deixa muito de lado essa questão", fala, com brilho nos olhos, o homem de 36 anos que traz a empolgação de um menino que tem um mundo inteiro a desbravar.


Alex quer utilizar os avanços tecnológicos para ajudar a cidade e a população que se identifica e se torna parte do projeto porque percebe que a transformação social é efetiva ao se deparar com a união entre tecnologia e pessoas. O retorno vem justamente da comunidade: ver a mudança acontecendo faz com que Alex se sinta cada vez mais ativo dentro da sociedade e trazendo algo de novo para as pessoas. 


Para o futuro, Alex já quer começar agora a aprender como estruturar o seu projeto com inovação e metodologia diferenciada para fazer suas ideias acontecerem, alcançando metas e proporcionando transformação real na sociedade.


Confira aqui outras histórias da quarta temporada da série #RetratosNeoenergia:



​​













Quero:

Informações Relacionadas