04/01/2021

Neoenergia obtém todas as licenças para avançar com obras do seu maior complexo eólico no país

    energia limpa; renovaveis
  • Sim
  • Sim
  • Sim

A Neoenergia recebeu as licenças de instalação para início das obras de mais sete parques do Complexo Eólico Oitis no Piauí. O projeto, que será seu maior ativo de geração eólica no Brasil com capacidade instalada de 566,5 MW, terá ao todo 12 parques, sendo dois na Bahia – cujas obras foram iniciadas em novembro, com três meses de antecipação em relação ao previsto, e os demais no Piauí, etapa que poderá ser continuada com as novas licenças emitidas pela Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos deste estado (Semar). A companhia realiza nesta semana a mobilização para abrir novas frentes de trabalho no estado, acelerando a implantação dos parques.  

“Encerramos o ano de 2020 com a obtenção das novas licenças para avançar com a construção do Complexo Eólico Oitis, cumprindo com nosso plano de negócio. Mantivemos os nossos cronogramas de investimentos em 2020, demonstrando compromisso da companhia com o desenvolvimento do setor elétrico e da economia nas regiões onde atuamos.”, afirma a superintendente de Desenvolvimento de Negócios Renováveis da Neoenergia, Thaisa Almeida.   

Ao todo, o complexo eólico terá 103 aerogeradores com capacidade unitária de 5,5 MW, um dos modelos mais modernos e eficientes do mercado. Os equipamentos têm 126 metros de altura, o equivalente a um prédio de 25 andares. Além da licença de instalação dos parques, a companhia obteve a licença prévia que atesta a viabilidade do projeto da linha de transmissão de 70 quilômetros, com tensão em 500 kV, para conectar o projeto de geração ao sistema elétrico, através da subestação Queimada Nova II, no Piauí.  

“O avanço da construção do Complexo Eólico Oitis contribui não só com a ampliação da geração de energia limpa, que é um compromisso da empresa alinhado ao combate às mudanças climáticas. Trazemos também a criação de emprego e a realização de ações sociais e ambientais para o Piauí e a Bahia. No pico de obras, vamos gerar mais de 1,5 mil postos de trabalho”, diz o superintendente de Projetos Renováveis da Neoenergia, Leandro Montanher.  

ENERGIA LIMPA E SUSTENTÁVEL 

A previsão da Neoenergia é de iniciar a operação comercial do Complexo Oitis em 2022. O Complexo Chafariz, na Paraíba, segue o cronograma de construção definido pela empresa e, quando concluído, terá potência de 471,2 MW. Com os novos empreendimentos, a companhia terá capacidade instalada de geração eólica de 1,5 GW, quantidade suficiente para atender ao consumo de 10 milhões de pessoas, que equivale à população de um país como Portugal.   

Os parques em construção demonstram a aposta da empresa no mercado livre e a priorização da geração de energia limpa. Mais de 96% da produção no Complexo Oitis será destinada ao Ambiente de Contratação Livre (ACL), em que clientes com demanda superior a 500 kW podem escolher o fornecedor, com vantagens como economia no preço, flexibilidade e rastreabilidade da fonte da energia. 

Complementar ao crescimento exponencial da geração eólica, no segundo semestre de 2020, a Neoenergia anunciou a construção da sua primeira usina de geração fotovoltaica centralizada, o Complexo Luzia (PB), que terá potência de 149,3 MWdc.     

Quero:

Informações Relacionadas