10/11/2021

Ações da Neoenergia para acelerar o combate às mudanças climáticas

    sustentabilidade


  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​


acoes-climaticas-neoenergia 

Companhia está engajada em coalizões focadas no combate ao aquecimento global e está inserida em ações globais de sua controladora, que plantará mais de 20 milhões de árvores até 2030 

 

Agir com metas climáticas ambiciosas é uma necessidade urgente para o meio ambiente, mas também faz cada vez mais sentido econômico, diante das consequências de eventos climáticos extremos e das oportunidades de crescimento e geração de empregos que uma economia neutra em carbono oferece. Consciente do papel de liderança que as empresas devem desempenhar para um crescimento verde, a Neoenergia participa ativamente para contribuir com as discussões e ações efetivas. 

A Iberdrola​, controladora​ da companhia, plantará mais de 20 milhões de árvores nos países em que atua até 2030, sendo grande parte no Brasil, como fomento às mudanças climáticas. A iniciativa representa uma absorção das emissões de um veículo que realiza 116 voltas em todo o planeta e os hectares de plantação equivalem a 25 mil campos de futebol em área utilizada. O programa tem como objetivo criar uma motivação corporativa para a promoção e a conservação da biodiversidade. 

A Neoenergia integra ainda coalizões como o Pacto Global da ONU, da qual é participante desde 2007 e renova o compromisso com os Dez Princípios, baseados em uma atuação que respeite direitos humanos e preservação ambiental. Em âmbito nacional, integra a Plataforma de Ação pelo Clima da rede local do Pacto e a Câmara de Energia e Mudança do Clima do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). 

Desde setembro, a diretora-presidente adjunta da empresa, Solange Ribeiro, é vice-presidente do Conselho do Pacto Global, maior iniciativa voluntária de sustentabilidade corporativa do mundo, com a adesão de mais de 12 mil empresas em 160 países, entre elas, algumas das principais marcas globais. A coalizão está liderando a ambição climática entre as empresas, defendendo ações para alcançar uma economia resiliente e a transição para a neutralidade em carbono até 2050. 

Fortemente engajado em programas e campanhas globais do Pacto, o Grupo Iberdrola, destaca o Caring for Climate, iniciativa para a liderança empresarial sobre mudanças climáticas que promove maior comprometimento das empresas na luta contra as mudanças climáticas. Nele, são implementadas soluções práticas que ajudem a moldar as políticas públicas para mitigação e adaptação climática. O grupo também é signatário da campanha Business Ambition for 1.5°C, campanha que chama atenção para a adoção de estratégias para reduzir as emissões, baseando-se em buscar limitar o aquecimento global a 1,5°C acima dos níveis pré-industriais. 

Alinhada ao mesmo propósito, a Neoenergia possui a meta de promover iniciativas de descarbonização para neutralizar as emissões até 2050. Em seus negócios, tem priorizado investimentos em energias renováveis, com foco em eólica e solar. Hoje, 86,9% da capacidade instalada da companhia é de energia limpa e alcançará 90% em 2022, com a entrega dos seus dois maiores complexos eólicos no país, Chafariz (PB) e Oitis (PI e BA). Além disso, aposta em mobilidade elétrica, digitalização do atendimento ao cliente, iniciativas de preservação da biodiversidade e projetos de eficiência energética e inovação, como armazenamento de energia em baterias, caminhão elétrico e medidores inteligentes com digitalização das redes. 

No âmbito da iniciativa Energy Compact das Nações Unidas, assumiu compromisso com a redução da intensidade de emissões do seu portfólio e de contribuir para universalizar o acesso à energia limpa e acessível no Brasil. 

Com apoio do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGVces) a Neoenergia desenvolveu projeto de precificação interna de carbono para apoiar rota de descarbonização dos seus processos operacionais. Também participa da iniciativa internacional do Pacto Global chamada Ambição Net Zero, engajando-se para elaborar metas climáticas ambiciosas, alinhadas à ciência, e que integrem o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 13 (Ação Climática) e os objetivos do Acordo de Paris em suas estratégias de negócio. 

“Temos o compromisso com o desenvolvimento sustentável, que se materializa na nossa aposta nas boas práticas ASG (ambientais, sociais e de governança, ou ESG, na sigla em inglês), que estão integrados no dia a dia das nossas operações. A transição energética e a descarbonização da economia estão incorporadas na estratégia de negócio da companhia”, afirma a gerente de Sustentabilidade e Mudanças Climáticas da Neoenergia, Renata Koga. 

Crescimento sustentável 

A Neoenergia acredita na retomada verde após a crise econômica provocada pela pandemia de Covid-19. Adotar estratégias nacionais que considerem as metas do Acordo de Paris pode gerar benefícios econômicos no mundo inteiro. Um estudo da Comissão Global para a Economia e Mudança Climática apontou que uma ação climática ambiciosa pode gerar pelo menos 6 trilhões de dólares de lucro líquido no mundo, além de 65 milhões de empregos, até 2030. A Comissão de Desenvolvimento Sustentável e Empresarial estima que o cumprimento dos ODS poderia gerar 12 trilhões de dólares em economias e novas receitas e mais 380 milhões de novos empregos. Estudo liderado pelo WRI Brasil mostra que apostar na economia verde pode gerar um aumento acumulado adicional do Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 2,8 trilhões até 2030 e dois milhões de empregos a mais para o Brasil, vis-à-vis a manutenção de uma economia baseada no uso de combustíveis fósseis. 

Além de assumir compromisso com os Dez Princípios do Pacto Global da ONU, a companhia contribui com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), prioritariamente os de fornecer energia limpa e acessível (objetivo de número 7) e atuar contra as mudanças climáticas (ODS 13). Há compromisso ainda com outros ODS relacionados a temas estratégico​s e que contribuem diretamente à gestão sustentável dos negócios: água potável e saneamento (ODS 6), indústria, inovação e infraestrutura (ODS 9), vida terrestre (ODS 15) e parcerias e meios de implementação (ODS 17). ​



Quero:

Informações Relacionadas