Temporada dos Ventos

  • Sim
  • Sim
  • Sim

Temporada dos ventos fortes, saiba tudo sobre  esse fenômeno climático

A “temporada dos ventos altos" é um fenômeno anual que ocorre na região nordeste do Brasil. Durante o período de inverno, que vai de julho a outubro, é percebido um aumento da qualidade e intensidade dos ventos por conta das correntes marítimas. Os parque eólicos aproveitam ao máximo essas condições climáticas, que resultam no alcance de picos recordes de geração de energia limpa e sustentável. 

A Neoenergia contribui com o cenário de aproveitamento dos ventos altos, através dos seus 44 parques eólicos, todos alocados no Nordeste, sendo 17 em operação e 27 em construção. Dessa forma, a companhia responde por cerca de 5% da geração de eólica na região, com expectativa de crescimento de 15% até 2022.

De acordo com o  gerente de operação e manutenção (O&M) de renováveis da Neoenergia, Rodrigo Errera, a maior fonte de geração de energia no Nordeste provém de recursos renováveis, no caso, a energia eólica. "Por isso, ao alcançar picos de geração eólica, os estados da região passam a depender menos de outras fontes de energia, como a hídrica e a térmica, se tornando autossuficientes. Em alguns momentos do ano, a geração eólica ultrapassa a carga demandada, assim, a oferta vai além da demanda e a região passa a ser autossuficiente, chegando até a exportar o excedente da energia para outras localidades", explica o executivo.

Essa autossuficiência dos ventos no Nordeste é relevante principalmente porque o segundo semestre é um período de seca nessa região do Brasil. Dessa forma, a geração eólica vem para complementar a geração hidráulica, com a queda nas reservas devido a menor intensidade das chuvas.  

Somente na primeira semana de agosto, deste ano, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) registrou três recordes de geração média de energia no Nordeste. O mais recente aconteceu em 6 de agosto, quando a força do vento chegou a produzir 9.049 MW médios. Essa capacidade é suficiente para abastecer o equivalente a 94,4% da demanda elétrica de todos os estados da região. Os outros recordes foram registrados no dia 5, com a geração de energia eólica média de 8.854 MWmed e no dia 2 de 8.780 MWmed.


FENÔMENO CLIMÁTICO

São diversos os motivos que levam o aumento da qualidade e intensidade dos ventos, o que resultam no melhor aproveitamento da geração eólica. Entre eles, estão a radiação solar sobre a terra, a diferença de temperatura entre a linha do equador e os trópicos, além da temperatura das águas dos oceanos e o relevo das regiões.

Especificamente na região Nordeste do Brasil, a melhor qualidade dos ventos em termos de direção, velocidade e densidade ocorre influenciada também pelo fenômeno climático chamado El Niño. Ele é caracterizado pelas temperaturas mais quentes do oceano Pacífico Equatorial, o que gera uma melhora da geração eólica, já que, durante esses períodos, ocorre uma menor precipitação na região, favorecendo a produção de energia através dos ventos.

“Nos meses de julho a outubro temos os melhores ventos do ano, mais unidirecional, ou seja, com pouquíssima variação da sua direção. Isso é muito importante para a geração eólica pois, cada vez que o vento muda o curso, o aerogerador precisa se ajustar, o que diminui a sua eficiência. Além disso, é nesse período que o vento chega a velocidades ideais, acima de 12 metros por segundo, quando grande parcela dos modelos de aerogeradores alcança seu pico de geração", afirma Errera.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL


O investimento da Neoenergia em geração eólica está alinhado com o compromisso da companhia em contribuir no combate às mudanças climáticas. “O vento é uma fonte de energia limpa e renovável, que não emite poluentes em sua operação. Dessa forma, a temporada de ventos altos potencializa os benefícios da energia eólica ao diminuir ainda mais a emissão de gases de efeito estufa", relata  o superintendente de operação e manutenção (O&M) de renováveis da Neoenergia Dipgo Mariga.

Atualmente, a companhia possui 17 parques eólicos em operação nos estados da Bahia, do Rio Grande do Norte e da Paraíba, com capacidade instalada aproximada de 516 MW - o suficiente para abastecer mais de 1,1 milhão de residências brasileiras, evitando a emissão de mais de 830 mil toneladas de CO² na atmosfera.  Em dois anos, a capacidade instalada da companhia em geração eólica vai triplicar, chegando a 1,6 GW. Isso irá acontecer com a conclusão do complexo Chafariz (PB), com 12 parques, acrescentando 471,2 MW e o de Oitis (PI e BA), com 15, que somará 566,5 MW a esse total.

As fontes renováveis – hidrelétrica e eólica – representam 86,8% da geração de energia na Neoenergia. Em 2022, esse valor deve chegar a 90%, superando o perfil brasileiro. Com isso, a empresa se alinha às metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos pela Organização das Nações Unidas (ONU). A marca tem como foco principal o ODS 7, voltado a assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos, além do ODS 13, que visa tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos.

 

Quero:

Informações Relacionadas