07/12/2020

Geração solar residencial registra crescimento expressivo

    energia limpa; renovaveis
  • Sim
  • Sim
  • Sim


 slider-image | Titulo do Slider

A expansão da oferta de energia elétrica no país tem um novo protagonista: a micro e minigeração distribuída, ou seja, a produção de energia em plantas de até 5 MW, como acontece nas residências que possuem painéis fotovoltaicos. Com o objetivo de gerenciar com qualidade e segurança o volume crescente desse modelo de geração, a Neoenergia investe na digitalização de suas redes por meio do Projeto Energia do Futuro, realizado na região de Atibaia, em São Paulo. A companhia criou uma estratégia de ampliação da geração solar residencial na região a partir de iniciativas do Programa de Eficiência Energética, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

A geração distribuída demanda mais controle e gestão da rede, já que provoca uma mudança no fluxo do fornecimento. A distribuidora passa a não apenas entregar a energia aos clientes, mas também receber a produção de cada unidade consumidora, agora em uma relação bidirecional. Em Atibaia, segundo a Aneel, a potência instalada total é de 3,1 MW. Há na cidade 648 instalações desde 2015, sendo 216 este ano (30% a mais do total). 

No âmbito do Programa de Eficiência Energética, a Elektro – concessionária da Neoenergia na região de Atibaia – doou 190 sistemas de microgeração a consumidores de baixa renda do município. Além desses, foram instalados, até novembro de 2020, 54 sistemas em clientes residenciais que não estão nessa classificação, que receberam 50% de desconto na compra dos equipamentos. Juntos, esses sistemas têm capacidade instalada de 582kWp e geram 816 MWh/ano. Ao longo de 2021, edificações públicas da região serão beneficiadas pela iniciativa. 

“Com o Projeto Energia do Futuro, Atibaia se transformou em um modelo nacional do que podemos esperar para o fornecimento do serviço nos próximos anos. A demanda por geração distribuída é crescente no mundo inteiro e, com ela, os consumidores tornam-se também produtores da energia, o que provoca uma necessidade ainda maior por controle e digitalização das redes. Toda a tecnologia que estamos implantando na cidade, como sistemas de automação avançados e medidores inteligentes, são inovações que podem ser levadas para toda a nossa área de concessão e trazem benefícios para todos os clientes e sociedade, como o aumento da qualidade do serviço e o consumo consciente”, diz o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana.  

EXPANSÃO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO PAÍS

A geração solar distribuída no país – incluindo residencial e empresarial – cresceu 1,4 GW em 2019, uma expansão maior do que todas as fontes centralizadas, com exceção das hidrelétricas, de acordo com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Em seu Plano Decenal, a EPE estima que em 2030 a capacidade instalada de geração distribuída pode ficar entre 16,8 GW e 24,5 GW, enquanto hoje é de 4,2 GW. Desse total, 93% são de fonte fotovoltaica. O número de consumidores deve ser entre 2 e 3 milhões. 

A instalação de painéis solares residenciais é um investimento que tem benefícios como a economia na conta de luz e a valorização do imóvel. No modelo atual, a energia gerada e compensada em créditos na conta. Por meio da Neoenergia Soluções, a companhia oferece o serviço nos cinco estados onde possui áreas de concessão – Coelba (Bahia), Celpe (Pernambuco), Cosern (Rio Grande do Norte) e Elektro (São Paulo e Mato Grosso do Sul). Além disso, a energia solar é uma fonte renovável e limpa, que contribui para o combate às mudanças climáticas por não emitir gases do efeito estufa. 

PROJETO ENERGIA DO FUTURO

Iniciado em 2018, o Projeto Energia do Futuro tem como objetivo modernizar a rede de distribuição de energia elétrica. Foram instalados, além de sensores e religadores, 75 mil medidores inteligentes, equipamentos que permitem a leitura bidirecional do fluxo de energia – devido à geração distribuída, a energia não é mais só entregue ao consumidor, mas também recebida pela rede. Esses equipamentos permitem também a comunicação direta entre a unidade consumidora e a Elektro, possibilitando a detecção de interrupções e o restabelecimento no fornecimento de forma automatizada. A Neoenergia instalou, através do projeto, a primeira rede celular 4G privada operada por uma empresa do setor elétrico na América Latina, para garantir a conectividade dos modernos equipamentos. 

 

Quero:

Informações Relacionadas