Queimadas no Brasil: Por que devemos nos preocupar?

    meio ambiente
  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​




queimadas-te-interessa

No Brasil há um​a grande quantidade de queimadas, principalmente nos biomas Amazônia e Cerrado. Alguns fatores têm agravado esse cenário, como o aquecimento global e o desmatamento. 

Um estudo feito pela ONG MapBiomas observou mais de 150 mil imagens de satélites com dados de queimadas entre 1985 e 2020. O estudo traz resultados preocupantes: somada, a área queimada no Brasil corresponde a quase 20% de todo o território nacional. O cerrado e a floresta amazônica concentram a maior parte da área atingida pelo fogo, sendo 65% em vegetação nativa. 

Vamos entender melhor o que são queimadas e por que esses dados são tão preocupantes? ​

O que é uma queimada? 

 Existem dois tipos de queimadas: as naturais e as antrópicas (ou artificiais). Vamos conhecer um pouco melhor cada tipo: 

- Queimadas Naturais 

As queimadas são fenômenos naturais que geralmente ocorrem em áreas secas de clima árido ou semiárido. Por conta do vento e da baixa umidade, é comum que fagulhas surjam naturalmente, causando incêndios que podem chegar a grandes proporções. 

- Queimadas Antrópicas 


Há também as queimadas antrópicas, ou seja, iniciadas propositalmente por seres humanos, e possuem diversas finalidades, como limpeza da vegetação ou preparo do solo para agricultura ou pecuária. ​

As queimadas antrópicas podem ser consideradas crimes e as leis ambientais proíbem que elas sejam feitas:  

  • A menos de 15 metros dos limites da faixa de segurança das linhas de transmissão e distribuição de energia elétrica. 

  •  Numa faixa de 100 metros, ao redor da área de domínio de subestação de energia elétrica.  

  • Numa faixa de 50 metros, ao redor das áreas de unidades de conservação ambiental. 

  •  Numa faixa de 15 metros de cada lado de rodovias estaduais e federais e de ferrovias.  

  • Toda queimada precisa ser autorizada pelo órgão ambiental dos municípios e/ou do estado. 

     

    O que podemos fazer para combater as queimadas? 


O que podemos fazer para combater as queimadas? 

A melhor solução para evitar queimadas é a prevenção. Conscientizar a população pela cobrança intensa das instituições de controle e combate a queimadas ilegais é um dever de todos. Conversar com as crianças sobre os perigos que as brincadeiras com o fogo podem provocar também pode ser eficaz para evitar acidentes no futuro. 

No dia-a-dia, evitar descartar bitucas de cigarros em áreas de vegetação seca. 

Não queime nem jogue lixo próximo a plantações, matas ou canaviais, nem mesmo em áreas privadas, pois faíscas transportadas pelo vento podem gerar novos focos de incêndio.  Separe o lixo e espere que seja recolhido, com o apoio do sistema de coleta municipal. Se não tiver coleta na sua região, procure a prefeitura de seu município ou as associações comunitárias. 

Evite plantar próximo da rede elétrica. Dê prioridade à colheita mecanizada, quando possível. Faça sempre a limpeza nas áreas de plantações/ pastagem, eliminando materiais de fácil combustão. 

Faça aceiro (faixas ao longo das cercas livres de vegetação da superfície do solo) com grade e/ou enxada para que o fogo não passe para outros locais. A técnica tem baixo custo e é muito eficaz.  

Não faça queimadas embaixo e nem próximo da rede elétrica. É crime fazer queimadas nessas áreas. 

Caso encontre focos de incêndio e queimadas, chame as autoridades competentes, como o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193 e a Polícia Militar pelo telefone 190.  

Em caso de denúncia de incêndios criminosos, ligue para o Ibama (Linha Verde): 0800 061 8080.



E se a queimada ocorrer próxima da rede elétrica? 

O calor e a fuligem tornam o ar capaz de conduzir corrente elétrica entre a rede elétrica e o solo ou entre os fios. Isso provoca o desligamento da rede e causa a falta de energia.  

A falta de luz ocorre não só na região do fogo, como também em várias outras. Pode afetar as escolas, os bancos, as lojas, os hospitais e muitas outras instituições.  Os estudantes ficam sem aula; os doentes, sem atendimento nos hospitais; os trabalhadores sem emprego; os moradores e o comércio local sem energia. Todos sofremos com a falta de energia que pode ser causada pelas queimadas. 

Os fios de energia também podem ter deterioração acelerada pelo calor e a quebra dos fios pode atingir pessoas que estejam próximas às plantações, causando acidentes fatais. É necessário estar atento para sua própria segurança! 

Caso um foco de incêndio que atinja a rede elétrica seja identificado, não deve ser apagado com água. O mais seguro é acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193 e entrar em contato com a distribuidora de energia do seu estado. 

 

Quais são as causas das queimadas? 

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação reconhece como principais causas das queimadas: 

  • Incendiários: incêndios provocados por pessoas a propriedades alheias, sem motivos específicos; 

  • Fumantes: incêndios originados por pessoas que descartam cigarros de forma incorreta; 

  • Queimadas para limpeza: geralmente promovidas por agricultores e pecuaristas, em áreas de pastagens ou de agricultura, para renovação do solo e introdução de sais minerais liberados pela prática; 

  • Fogos campestres: provocados por pessoas que acampam ou estão no campo, desenvolvendo alguma atividade, e fazem uma fogueira, que pode alastrar-se; 

  •  Operações florestais: queimadas causadas por trabalhadores que estão nas florestas, que usam do fogo para alguma finalidade, como sinalização ou preparo de alimentos; 

  • Estradas de ferro: queimadas promovidas direta ou indiretamente pelas atividades nas estradas de ferro; 

  • Raios: descargas elétricas podem promover incêndios diretos ou indiretos na natureza ou em áreas de pastagens; 

  •  Diversos: incêndios que não se encaixam nos grupos anteriores; queimadas que ocorrem de forma rara ou incomum.   

​Quais as consequências das queimadas? 

As consequências das queimadas, de modo geral, são prejudiciais, tanto ao meio ambiente quanto à saúde humana. Imagine que uma floresta seja completamente tomada por um incêndio. De forma direta, a queimada causará a destruição ambiental de toda a área, perdendo toda a vida selvagem e as riquezas naturais. 

De forma indireta, as queimadas também emitem grandes quantidades de gases poluentes e fumaça que fazem mal à saúde quando inalados, causando doenças respiratórios como bronquite, sinusite e rinite. Todos estão expostos a esse problema, pois os ventos levam a fumaça para muitos quilômetros de distância, afetando toda a população do planeta. 

Essa emissão de gases e fumaça também afeita o meio ambiente e contribui para o aquecimento global e o efeito estufa. Esses gases aumentam a temperatura do planeta Terra, promovendo diversos efeitos negativos, como desequilíbrio do ciclo da água, com ausência de chuvas em diversas regiões do mundo e aumento do nível dos oceanos, em decorrência do derretimento das calotas polares. ​

Por que ocorrem tantas queimadas no Brasil? 

No Brasil há uma grande quantidade de queimadas, principalmente nos biomas Amazônia e Cerrado. Alguns fatores têm feito as queimadas no Brasil aumentarem, como o avanço do desmatamento e a ampliação das áreas de pastagem e atividades econômicas ligadas à agropecuária

Outro fator que influencia na propagação de queimadas pelo território brasileiro é o tempo seco e quente, vivenciado em diversas regiões do país entre agosto e setembro. 

Na maioria das vezes, essas queimadas são provocadas pela ação humana de maneira criminosa. Os incêndios são muitas vezes iniciados por agricultores em áreas de pastagens, para renovação de pastos, e por grupos que causam desmatamento para eliminar vegetação rasteira e retirada de madeira para comercialização

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), todos os seis biomas brasileiros sofreram com essas ações, mas Amazônia, Pantanal e Cerrado são os que mais têm sofrido com os focos de incêndio. ​












Como controlar as queimadas do Brasil? 

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Ministério do Meio Ambiente são as instituições responsáveis pelo monitoramento e controle de queimadas no país. Cabe principalmente ao Ministério a elaboração de planos de ação para o combate aos focos de incêndio e o financiamento de equipamento e aviões para o controle. 

Como forma de prevenir, o Inpe conta com satélites que analisam grandes áreas, notificando em tempo real quando alguma região está com temperaturas muito elevadas. 

Para controlar um incêndio, duas práticas são mais comuns: o uso de brigadistas, pessoas treinadas para o combate ao fogo com equipamentos de segurança e de controle de incêndios; e o uso de aviões com água, despejando nas áreas afetadas pelo incêndio.

Atuação da Neoenergia junto à SOS Pantanal

O Pantanal passou em 2020 pelos maiores incêndios nos últimos 50 anos, consumindo mais de 30% da área do bioma, o que equivale a 4,5 milhões de hectares ou 30 cidades de São Paulo. Para auxiliar os moradores e a preservação da biodiversidade, a usina termelétrica Termopernambuco (Termope), controlada pela Neoenergia​, fez uma doação voluntária de R$ 150 mil para duas organizações que atuam na região: Instituto Arara Azul e SOS Pantanal, sendo R$ 75 mil para cada uma delas. Outra contribuição no mesmo valor já havia sido realizada pelo Instituto Neoenergia​. 

A doação feita pela Termope é a primeira ação de um novo plano de conservação elaborado pela empresa“Nosso acionista controlador, o grupo Iberdrola, tem o objetivo de alcançar a perda líquida nula em biodiversidade até 2030. Com essa doação e outras iniciativas que serão realizadas no futuro próximo, estamos alinhados a essa meta e ao cumprimento do nosso dividendo social. Temos o compromisso de fomentar e promover voluntariamente projetos de conservação da biodiversidade e restauração do capital natural, sejam localizados próximo à usina, que fica em Pernambuco, ou em outras regiões do país, como é o caso do Pantanal”, afirma o gerente da Termope, Tatsumi Igarashi. ​