Outubro, o mês da solidariedade e da conscientização sobre o câncer de mama

     
  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​​​​​​​​​​​

Outubro é o mês em que pessoas, instituições, ONGs, empresas e monumentos adotam a cor rosa como forma de dar força à campanha pela prevenção e conscientização sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama: o Outubro Rosa.

Apesar das campanhas e da grande divulgação sobre o tema todos os anos, ainda existem muitas dúvidas e apreensão a respeito do câncer de mama. Embora seja uma doença que requer um tratamento intenso, falar sobre o assunto pode ajudar a esclarecer os mitos e verdades e deixar as mulheres mais seguras, diminuindo o temor associado a ela. A boa notícia é que um em cada três casos pode ser curado se for descoberto logo no início. Por isso, é fundamental falar sobre o assunto com amigos e familiares, pois todos podem ajudar. ​


OUTUBRO ROSA

Outubro é conhecido no mundo todo como o mês em que acontecem ações relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento, conhecido como Outubro Rosa, é celebrado anualmente desde os anos 90. A campanha é utilizada para compartilhar informações sobre o câncer de mama e, mais recentemente, sobre o câncer do colo do útero. A ideia é promover a conscientização sobre as doenças, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e contribuir para a redução da mortalidade.

O nome da campanha remete à cor do laço que é o símbolo internacional usado por pessoas, empresas e organizações que apoiam o movimento. É por esse motivo que durante esse mês a cor rosa ilumina a fachada de diversas instituições públicas e privadas que aderem ao movimento, como um dos principais pontos turísticos do Rio de Janeiro e do Brasil: o Cristo Redentor (foto abaixo). ​


A DOENÇA

O câncer de mama é resultado da multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor com potencial de invadir outros órgãos. Alguns tipos de tumor se desenvolvem rapidamente. Outros, lentamente. Mas, na maioria dos casos, há boa resposta ao tratamento, principalmente quando a doença é diagnosticada logo no início.  Vale lembrar que o diagnóstico precoce ainda é o maior aliado para que o tratamento seja eficaz. Quando identificado cedo pode ser logo tratado, impedindo que o tumor se espalhe.

O câncer de mama é o tipo mais comum, depois do de pele não melanoma, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. No Brasil, em 2017, foram 16.724 mortes provocadas pela doença. O INCA estima que, em 2019, apareçam 59.700 novos casos. O câncer de mama também atinge os homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos.​



SINAIS E SINTOMAS

A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres. Independentemente da idade, elas são capazes de conhecer seu corpo para saber o que é ou não normal em suas mamas. Por isso, é importante que as mulheres observem suas mamas sempre que for possível, como no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano. Olhar no espelho e tocá-las é muito eficiente para reconhecer suas variações naturais e identificar as alterações suspeitas.

Principais sinais e sintomas:

  • Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos​


Se identificarem alguma alteração, as mulheres devem procurar imediatamente um serviço de saúde, como posto, para receber orientações.

Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas. Mamografia é uma radiografia das mamas feita por um equipamento de raios X chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas. Mulheres com risco elevado devem conversar com seu médico para avaliar se deve fazer outros exames.

COMO PREVENIR

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como praticar atividade física regularmente, ter uma alimentação saudável, não estar acima do peso, evitar bebidas alcoólicas e amamentar.

Vale ressaltar que o câncer de mama não tem somente uma causa. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos). Conheça aqui sobre outros fatores que aumentam o risco.

AFETO É PARTE DO TRATAMENTO

O Programa Amigas do Peito destaca a importância do afeto como estratégia para mulheres superarem as dificuldades do tratamento. As tensões entre o diagnóstico e a busca pela cura foram registradas no documentário “Amigas do Peito: redes de afetos no cuidado", produzido pelo Ministério da Saúde com pacientes do Hospital Federal Cardoso Fontes, localizado no Rio de Janeiro. O vídeo registrou a rotina das pacientes no hospital e no dia a dia. Clique aqui para assistir.

BANCO DE PERUCAS

Existem diversas instituições pelo mundo com importantes iniciativas que apoiam a causa e ajudam efetivamente as mulheres que têm a doença. Uma delas é a fundação Laço Rosa, que criou um banco de perucas online e gratuito. O projeto ajuda a resgatar a autoestima de mulheres com perda de cabelo durante a quimioterapia. Pacientes com qualquer tipo de câncer, em qualquer lugar do Brasil, podem solicitar gratuitamente uma peruca. Saiba mais.

Agora que você tem muitas informações, que tal compartilhar com suas amigas esta cartilha feita pelo Instituto Nacional de Câncer? Acesse aqui.​


Informações Relacionadas