Movido pelo desafio

  • Sim
  • Sim
  • Sim

Do alto dos seus 1,47m, Alzair Vitor nunca duvidou de si. Sempre muito questionado pelos que estavam ao seu redo​r de que dificilmente conseguiria concretizar seus sonhos. A altura seria o motivo do empecilho. Não para ele. Alzair teve vida difícil. O pai saiu de casa quando ele tinha dois anos. Aos sete já trabalhava vendendo 'din-din' * na BR 101 perto da cidade de Canguaretama onde morava. Não teve uma infância igual a da maioria das crianças. “Quase não tenho lembranças com brincadeiras. Quando acontecia, nos mesmos contruíamos nossos brinquedos”. A mãe de Alzair entregava para ele todos os dias 52 dins-dins’. Dois eram seu almoço e os outros 50 ele tinha que vender. Assim a vida transcorreu por quatro anos.




A mãe casou novamente e a família foi morar em João Câmara, 74 quilômetros de Natal. Foi lá que o sonho de ser eletricista nasceu para ele. “Eu via o pessoal fazer os serviços na frente da minha casa, cheios de energia e dizia que um dia seria um deles”. Em 2006, entrou para uma empresa terceirizada da Cosern e em 2013 foi fazer o curso preparatório para entrar na empresa. Por causa da minha altura, as pessoas sempre brincaram muito comigo e eu cheguei a pensar que não tinha capacidade. Para realizar uma das atividades do curso, um coordenador me colocou como dupla de um rapaz de 1,90m.​


Precisávamos puxar uma alça de um poste para conduzir um serviço. Meu colega, mesmo muito grande, não conseguiu. Foi quando escutei ‘vai lá, Alzair, mostra quem você é’. Me esforcei muito e consegui concluir a atividade. Foi aí que tive um estalo: eu tenho capacidade de estar na Cosern​”, diz.

Em 2013, foi contratado pela Cosern​ e quando recebeu a notícia ligou para a mãe e os amigos chorando. “Ouvi de muita gente que eu não era capaz. O desafio me move. Tenho orgulho de dizer que tudo que tenho hoje foi conquistado com muito suor”, completa o eletricista.

*Crédito das fotos: Maurício Cuca






Quero:

Informações Relacionadas