21/12/2020

Luz para Todos: histórias de vidas transformadas pela Neoenergia após chegada da eletricidade

    compromisso social


  • Sim
  • Sim
  • Sim

“O direito de morar na zona rural com dignidade”. Essa frase representa bem o programa Luz Para Todos, realizado pela Neoenergia em parceria com o Governo Federal de forma a promover universalização da energia elétrica na área rural. As palavras foram ditas por Julinda dos Santos, conhecida como Biquinha, moradora da Comunidade de Fundão no município do Conde (BA). Ela é uma das 2,4 milhões de pessoas que foram beneficiadas com o Luz Para Todos na Bahia desde a implantação, em 2004, até setembro de 2020. O programa, que segue no território baiano até dezembro de 2021, já passou por Pernambuco, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte – áreas de concessão da Neoenergia – transformando a vida de pessoas e o cenário das cidades.

Biquinha sabe muito bem o impacto que a energia teve no cotidiano dela. Dona de casa e lavradora, com dois filhos, ela conta como era antes de a eletricidade chegar: “A vida era mais difícil. Só podíamos saber das notícias e acontecimentos pelo radinho a pilha, a comida era salgada para que durasse mais tempo, a escuridão da noite colocava todo mundo cedo na cama, as novelas eram apenas histórias contadas pelos visitantes”.  

Tudo isso mudou em janeiro de 2019, quando o Luz Para Todos levou energia para a comunidade onde Biquinha vive. “Hoje parece outro mundo aqui no Fundão. A TV alegra as crianças e os adultos com tantas coisas nunca vistas, temos acesso à informação e podemos conversar sobre assuntos novos, temos a geladeira para colocar os alimentos, por isso não precisamos mais comer tanto sal, a água ficou mais fresca e gelada, e a bomba no rio leva água até as casas”, declara.  

Os benefícios vão além dos existentes no cotidiano, como ter geladeira e televisão. Biquinha relata que percebeu melhorias no cuidado com a saúde e a alimentação, principalmente das crianças, e agora todos estão mais contentes em morar na Comunidade do Fundão. “A energia nos fez ver a vida com mais perspectiva. Dizem que vivemos em um paraíso e, por isso, nossos amigos e familiares nos visitam mais. Não importa a distância, se as pessoas pudessem, moravam aqui também”, conclui.  

Na Bahia, já são 664 mil casas atendidas pelo Luz Para Todos num período de 16 anos, atingindo o maior número de novas ligações entre todos os estados brasileiros. As obras se estendem por 415 cidades baianas e a meta é energizar todo o estado até 2021, consolidando a universalização na Bahia. “Temos muito orgulho de integrar as conquistas do Luz Para Todos, que tem transformado tantas vidas. A satisfação ao ver a energia chegar a esses locais é imensa, principalmente por sabermos o impacto positivo que ela traz para cada um”, afirma a supervisora da Unidade de Gestão do Luz Para Todos na Neoenergia, Mayline Pinto.  

HISTÓRIAS DE ALEGRIA 

Joana Guedes, moradora do município de Extremoz (RN), tem muito o que contar. Ela vive no local há mais de 20 anos e, em 2005, viu a energia chegar à sua casa, um momento marcado por muita expectativa e felicidade. “Eu sempre fui alegre, mas quando chegou a energia, aí é que eu fiquei alegre mesmo”, conta sorridente.  

Entre as conquistas realizadas com a chegada da eletricidade, ela destaca algo simples, mas que muitas vezes não recebe o devido valor: fazer suco da fruta no liquidificador e beber o refresco gelado. “Antes, eu precisava espremer as frutas, como acerola, caju e manga, na mão”, explica.  

Outra realização veio com a celebração da festa de casamento da filha no quintal de casa. “Ela se casou em 2006, logo depois que chegou a energia aqui, então foi muito bom, porque eu mandei chamar tudo quanto é gente, iluminei o quintal todo, foi a coisa mais linda”, relembra feliz.   

Alegria semelhante é compartilhada por Maria de Fátima da Silva, moradora de Ceará-Mirim (RN). Quando ela se mudou para o local, teve que se desfazer de todos os seus eletrodomésticos, pois a residência não tinha energia elétrica. “Nessa época, quando dava seis horas, a gente já tinha que jantar e se deitar, porque não tinha nenhum tipo de entretenimento. Precisava acender vela ou lamparina a querosene”, conta.  

Passou-se quase um ano até que o programa Luz Para Todos chegasse ao povoado onde Maria de Fátima mora. “O funcionário da Cosern veio procurando meu nome e disse que ia colocar energia na minha casa, então para mim foi muito gratificante, eu chorei e custei a acreditar. Perguntei ‘é verdade?’, ele confirmou e eu só queria agradecer, enquanto ele olhava para mim sem entender porque eu estava agradecendo tanto. Mas só quem não tem energia sabe o quanto é bom quando ela chega”, resume.  

No Rio Grande do Norte, o Luz Para Todos esteve ativo entre 2004 e 2015, período no qual o Estado recebeu obras da Cosern para que a energia chegasse em todos os municípios potiguares. Com isso, a concessionária da Neoenergia contabiliza 57.654 ligações realizadas dentro do programa durante os 11 anos.  

Em Pernambuco, área de concessão da Celpe, a quantidade de novas casas beneficiadas pelo Luz Para Todos chega a 102.157 entre 2004 e 2015. Já a Elektro, que atua em 223 municípios do interior de São Paulo e cinco do Mato Grosso do Sul, foi responsável por 49.458 novas ligações no período de 2005 a 2016.  

“Todas essas conquistas são resultado do compromisso da Neoenergia em fortalecer pessoas e comunidades. As iniciativas estão alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela Organização das Nações Unidas, com especial foco no ODS número 7, que prevê o acesso à energia acessível e limpa. Dessa forma, atuamos de modo a prover um bem tão essencial com a energia, levando qualidade de vida para todos”, finaliza a supervisora da Neoenergia.  

​                                    CLIQUE ABAIXO E CONFIRA OUTRAS HISTÓRIAS


 Accordion | “Sem energia elétrica era sofrimento”



 

​ Rio Grande do Norte, João Câmara, Assentamentos Baixa do Novilho.

Essa é Francisca Rita de Lima, mais conhecida como Dona Francisca. Segundo ela, sem energia a vida era difícil. "Se quisesse ter iluminação pela noite tinha que carregar lenha para acender uma fogueira no quintal, além de gastar muito dinheiro com gás para ter uma iluminação mínima dentro de casa. Para conservar os alimentos só se fosse salgando e colocando no sol, tudo tinha que comer no mesmo dia para não estragar. Não existia liquidificador, televisão nem geladeira. Além de que não havia plantio já que não tinha água", explica.  

O tempo se passou e finalmente chegou a energia elétrica para dona Francisca. “A vida ficou no claro, hoje dá para ter água gelada, conservar os alimentos na geladeira e iluminação dentro de casa", comemora. Agora, a dona de casa também consegue plantar já que existe um poço de água e uma bomba elétrica para bombear para plantação. Para ela “agora a vida tá boa”. Esse é o impacto que a energia faz na vida das pessoas com Dona Francisca.  

 Accordion | "A sala de aula ganhou mais vida"

O candeeiro era a principal forma de iluminar a pequena comunidade rural do município de Conde. Mas, a chegada da energia elétrica na Fazenda do Fundão em fevereiro de 2019, mudou a vida de todos. E Simone Conceição, professora há mais de 20 anos, participou desta transformação. Além da possibilidade de ter fogão elétrico, TV e geladeira, Simone conta que a sala de aula da escola da região ganhou mais vida. 💡 Agora, ela pode ensinar e aprender através de filmes e documentários.

A iluminação da Fazenda do Fundão faz parte do Programa de Eletrificação Rural, em parceria com o Governo Federal e a Coelba, e já beneficiou 42 famílias com a instalação de 134 postes e vários quilômetros de rede elétrica, reforçando o nosso compromisso de levar energia de qualidade para áreas rurais.


 Accordion | "O trabalho ficou mais fácil e rápido"

Era com a força do braço que a mandioca passava pela prensa na farinheira do Quilombo Limoeiro, em Entre Rios. Dona Chiquinha e seu marido, Adelito, abriram uma vereda, plantaram mandioca, e por muito tempo tudo isso foi sustentado através do esforço braçal. E então, o Quilombo renasceu com a chegada da energia elétrica!

Dona Chiquinha substituiu a força empenhada na manivela por um motor elétrico e o trabalho ficou mais fácil e rápido na sua casa de farinha. O Governo Federal e a Coelba continuam beneficiando muitas famílias baianas, fazendo chegar até elas uma energia elétrica de qualidade com o Programa de Eletrificação Rural.

 Accordion | "Os alimentos passaram a ser armazendos adequadamente"



 


​A energia já transformou milhares de lares, iluminando e trazendo esperança na vida de muitas famílias.  Como é o caso do Seu José, morador de Japi/RN. Antes, o preparo da comida era feito bem contado para não sobrar e gerar desperdício. Com a chegada da energia elétrica, Seu José e as famílias da comunidade podem armazenar adequadamente os alimentos. E o cuidado com os animais passou a ser mais prático também. Uma transformação do Programa de Eletrificação Rural, em parceria com o Governo Federal, que iluminou mais o sorriso e a vida dos potiguares, energizando todo o RN.

 Accordion | "A tranquilidade veio de uma vez"

​O lote comprado em Simões Filho foi o primeiro passo para uma aposentadoria tranquila do Seu João, mais conhecido como o "gerente" na comunidade. A casa foi construída com um motor a gasolina e uma placa solar. Casado com Marileide, 3 filhos e 1 neto, Seu João vive da aposentadoria e de serviços com a retroescavadeira. A tranquilidade veio de uma vez com a chegada da energia elétrica! O “gerente” já tem geladeira, TV, fogão elétrico, lavadora de roupa, micro-ondas e aparelho de som. "Chama o gerente!", brinca ele. Em parceria com o Governo Federal e a Coelba
, o Projeto de Eletrificação Rural tem possibilitado beneficiar famílias rurais com energia elétrica de qualidade.

Quero:

Informações Relacionadas