Práticas Ambientais UHE Baixo Iguaçu

  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​​​​​​​​​Investigação Genética da Ictiofauna



​Programa executado pela Usina Hidrelétrica Teles Pires, em parceria com a Fundação de Amparo ao Ensino e Pesquisa (FAEP) da Universidade de Mogi das Cruzes – Laboratório de Genética de Organismos Aquáticos e Aquicultura (LAGOAA), tem como objetivo realizar análises genéticas de amostras de 5 espécies de peixes migratórios.

Brycon falcatus

O programa visa compreender as estruturas populacionais das espécies e identificar padrões na distribuição da variabilidade genética ao longo das distâncias geográficas. O estudo contribuirá para se determinar a necessidade de adoção, no futuro, de medidas de mitigação voltadas para a Ictiofauna.

Pseudoplatystoma punctifer​

As seguintes espécies-alvo fazem parte do programa: Matrinchã (Brycon falcatus), Jaú (Zungaro zungaro), Cachara (Pseudoplatystoma punctifer), Curimba (Prochilodus nigricans) e Piraíba (Brachyplatystoma filamentosum). Todas as amostras já foram coletadas e as análises estão em andamento. Prochilodus nigricans


Zungaro zungaro





 

 CONFIRA ABAIXO OUTRAS PRÁTICAS AMBIENTAIS DAS HIDRELÉTRICAS DA NEOENERGIA














 Accordion | ​​​​​​​​​Programa de Resgate e Aproveitamento de Cientifíco da Fauna

Para minimizar os impactos da implantação do empreendimento a Usina Hidrelétrica (UHE) Baixo Iguaçu mobilizou uma equipe de Biólogos e Veterinários para realizar atividades de afugentamento e resgate da fauna silvestre nas áreas alvo de supressão vegetal, atividade relacionada ao licenciamento ambiental do empreendimento.

As equipes de campo têm a orientação de, sempre que possível, evitar o contato direto com os animais, diminuindo o estresse da manipulação. Quando se faz necessário, a equipe, que possui autorização do órgão ambiental para a atividade, realiza a captura e, se necessário, o atendimento emergencial dos animais que por ventura venham a se ferir durante as atividades.

Os animais são tratados e reabilitados para posterior soltura em área que não serão suprimidas ou seja, fora da área de alagamento. Para os indivíduos que eventualmente venham a óbito são realizados procedimentos de conservação, fixação e destinação a coleções científicas, contribuindo assim para o desenvolvimentos de estudos nas Instituições Parceiras. ​







 Accordion | Tecnologia a serviço da Conservação de Espécies – Surubim do Iguaçu

A equipe da UHE Baixo Iguaçu​, no desenvolvimento de seus programas ambientais, está utilizando a tecnologia a serviço da conservação de espécies endêmicas da região, no caso o peixe popularmente conhecido como Surubim-do-Iguaçu (Steindachneridion melanodermatum), através da captura dos peixes, marcação com transmissores de telemetria combinada e acompanhamento dos hábitos de deslocamento da espécie, instalando bases de monitoramento fixas e móveis ao longo da bacia hidrográfica.

 ​​Até o momento os biólogos realizaram a marcação de 50 indivíduos, que já começaram a fornecer relevantes informações relacionadas ao comportamento de migração da espécie na região de estudo.

O Programa vai fornecer relevantes informações que poderão ser utilizadas para nortear projetos específicos de conservação do Surubim-do-Iguaçu, que no momento encontra-se classificada como “Em Perigo" no Lista de Espécies Ameaçadas do Ministério de Meio Ambiente.​​​​

Sutura da incisão no local do implante do transmissor em Surubim do Iguaçu

Procedimento de marcação do Surubim do Iguaçu capturado na área do Poço Preto

Soltura de Surubim do Iguaçu após procedimento de marcação​​Download dos dados armazenados nas estações fixas de telemetria acústica​



Quero:

Informações Relacionadas