24/06/2020

Neoenergia aposta em tecnologias de redes inteligentes e alcança melhores indicadores de qualidade

    clientes; inovacao
  • Sim
  • Sim
  • Sim



Investimentos em automação, inovação e redes inteligentes (smart grids, em inglês) levaram as quatro concessionárias da Neoenergia – Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS) – a reduzir o número de interrupções no fornecimento de energia. Todas as distribuidoras da companhia estão abaixo dos limites estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para os indicadores de qualidade que avaliam a frequência média das interrupções (FEC, medida em vezes) e a duração média em que isso acontece (DEC, em horas). Uma das principais iniciativas, que levou a esse cenário, foi a implantação do sistema AIR, sigla para Automação Inteligente de Redes.

A tecnologia atua em caso de ocorrências provocada por fatores externos que acarretam a interrupção do fornecimento. O sistema identifica o ponto e, sempre que possível, realiza manobras isolando automaticamente o problema e transferindo as cargas para que o menor número de clientes fique sem o suprimento de energia. Mais de 20% dos equipamentos religadores das concessionárias da Neoenergia operam com o AIR. Em função das características das áreas de concessão das distribuidoras, a Aneel estabelece limites de qualidade diferentes, de acordo com a complexidade de cada mercado. Para avaliar o DEC e o FEC de cada concessionária, o órgão regulador leva em consideração peculiaridades como extensão territorial, características da rede elétrica e condições socioeconômicas.  

ELEKTRO

Na Elektro, por exemplo, até o primeiro trimestre deste ano, o AIR chegou a sete cidades: Guarujá, Aguaí, Rio Claro, Atibaia, Cabreúva, Mairiporã e Três Lagoas, totalizando mais de 220 equipamentos religadores. A frequência média de interrupções no fornecimento de energia na distribuidora foi de 4,25 vezes no mesmo período, enquanto o limite previsto pelo órgão regulador era de 6,39. O número também é menor do que o valor registrado no primeiro trimestre do ano passado, que foi de 4,51 vezes. A duração média de interrupções no serviço nos três primeiros meses de 2020 foi de 7,22 horas, abaixo das 8,3 horas previstas pela Aneel em 2019.

COSERN

A Cosern teve FEC de 4,59 vezes no primeiro trimestre de 2020, muito abaixo das 8,01 exigidas pela Aneel e das 5,41 registradas no mesmo período do ano passado. A DEC na concessionária foi de 9,37 horas de janeiro a março deste ano, enquanto o limite regulatório era de 11,92 e o valor nesses meses em 2019 foi de 11,46. No Rio Grande do Norte, a cidade de Canguaretama instalou o sistema de automação de redes em 39 religadores.

CELPE

A frequência média de interrupção do serviço na Celpe foi de 5,36 vezes nos três primeiros meses de 2020, FEC menor do que as 8,34 previstas pelo órgão regulador e em queda em relação aos 5,90 registrados no mesmo período de 2019. A duração média foi de 11,37 horas, abaixo do limite, que era de 13,4, e do número medido no mesmo período do ano passado, que foi de 11,68. O AIR foi instalado em 93 religadores em Petrolina e, em Pernambuco, os equipamentos da Região Metropolitana do Recife também operam com um sistema automatizado centralizado.

COELBA

Na Coelba, a FEC foi de 5,93 vezes no primeiro trimestre do ano, menos do que 6,01 do mesmo período em 2019 e do que os 7,87 estabelecidos como limite pela Aneel. No início deste ano, houve um aumento sutil na DEC, que passou de 12,83 para 13,06 horas, mas a duração média continua abaixo do valor previsto pela agência reguladora, que era de 14,11. Na Bahia, o AIR está nas cidades de Vitória da Conquista e Feira de Santana e, até o fim de 2020, será concluída a instalação em Itabuna. Quatrocentos e vinte equipamentos operam com o sistema.

COMO FUNCIONA O SISTEMA AIR

O AIR detecta o local exato do problema, sem a necessidade de intervenção humana, e isola a rede que foi atingida, retomando, imediatamente, o fornecimento para o maior número possível de clientes. Com o sistema, o número de consumidores afetados pode ser reduzido em até 70% e o restabelecimento de energia pode acontecer em até 80 segundos.

Na prática, ao encontrar uma falha, o próprio sistema estabelecesse um “novo caminho” para que a energia alcance o cliente. “Todos os equipamentos da rede elétrica estão conectados por uma infraestrutura de telecomunicações (satélite ou rádio) a um computador industrial, em que são programadas sequências lógicas considerando as possibilidades da rede, como número de clientes, carga e tensão. Se houver uma mudança na estrutura da rede, a tensão é alterada e o software envia o comando de como cada equipamento vai agir diante da situação”, explica Emanuel Barbosa.

A ampliação da instalação do Sistema Air na rede de distribuição reforça o compromisso da Neoenergia e suas concessionárias com a qualidade do fornecimento de energia elétrica. O projeto faz parte das iniciativas da empresa para adequação ao conceito de Smart Grids (redes inteligentes), nova tendência mundial na distribuição de energia elétrica.

 

 ShP - Certificado Verde

Quero:

Informações Relacionadas