28/08/2019

Neoenergia participa do Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico

    empresa
  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​O CEO da Neoenergia, Mario Ruiz-Tagle, ressaltou, durante sua participação no Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico, que as empresas distribuidoras de energia vão ampliar a oferta de serviços e o relacionamento com os clientes diante da transformação tecnológica do setor, cujos vetores são a digitalização, a descentralização e descarbonização – pilares da transição energética em curso.

Segundo o executivo, as distribuidoras têm oportunidades de negócios com a integração de novas tecnologias de geração, a disseminação dos veículos elétricos, armazenamento de energia, gestão de consumo, o que passara por uma maior interação com o cliente por meio de plataformas e canais digitais. Ruiz-Tagle afirma que companhias como a Neoenergia, uma das líderes do segmento no país atendendo a mais de 34 milhões de pessoas por meio de suas quatro distribuidoras (Celpe, Coelba, Elektro e Cosern), assumem um papel relevante no desenvolvimento de cidades inteligentes, uma vez que suas redes podem oferecer outros serviços digitais. 


“As empresas precisam absorver e internalizar as mudanças tecnológicas, tais como investimentos na digitalização da rede e fluxos de energia descentralizados, utilizando ferramentas de big data para transformar dados em conhecimento e criar valor", destacou Mario, no fórum de CEOs do setor, durante o Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (Enase). 


​​Para o CEO da Neoenergia, a digitalização e outros investimentos nas redes de distribuição “são a espinha dorsal desta mudança, e a infraestrutura deve estar preparada para absorver estas inovações", instrumentos importantes na modernização do setor elétrico – tema do Enase neste ano. “Para termos um mundo digital, precisamos de energia elétrica em caráter universal. Essa é a base. Precisamos de uma rede robusta, com os incentivos para uma adequada remuneração dos investimentos."

O executivo ressalta, porém, que “o arcabouço regulatório tem de considerar estes novos usos, a fim de gerar um ambiente de negócios favorável à inovação, com a estabilidade de regras, evitando a distorção de custos e assegurando a remuneração pela utilização das redes. 



INOVAÇÃO E INVESTIMENTOS 


A Neoenergia tem investido cada vez mais em inovação para absorver as mudanças tecnológicas e beneficiar seus consumidores, por meio de iniciativas como a modernização do relacionamento com o cliente, a ampliação de redes inteligentes, a utilização de sensores e aplicação de tecnologia de big data para o combate às perdas, medidores de consumo inteligentes, projetos de armazenamento de energia e microrredes para sistemas isolados e mobilidade (carregadores para veículos elétricos). 


Como exemplos, a Neoenergia mantém um “laboratório vivo" na ilha de Fernando de Noronha de novas tecnologias voltadas à sustentabilidade, com duas plantas solares, redes inteligentes e sistema de armazenamento de energia, entre outros. Já na Bahia, a companhia investiu no desenvolvimento de um caminhão com braço robótico de acionamento remoto para poda de árvores – que podem afetar a rede de distribuição. 


No primeiro semestre deste ano, a Neoenergia investiu, ao todo, R$ 2,2 bilhões de reais, principalmente em expansão das suas redes, valor que inclui também as iniciativas de P&D, digitalização e modernização de redes, entre outros.​


Quero:

Informações Relacionadas