15/09/2021

Neoenergia contrata 5,3 mil funcionários em programa de internalização

    talentos


  • Sim
  • Sim
  • Sim


Com o objetivo de reforçar a eficiência e a segurança, a companhia está ampliando os quadros de colaboradores próprios e as estruturas operacionais 

programa-de-internalizacao​  

A Neoenergia tem o compromisso de contribuir para o desenvolvimento sustentável das suas áreas de atuação, o que inclui a geração de emprego e renda. Alinhada a esse propósito e com o objetivo de reforçar a eficiência nas suas operações, a companhia aposta na internalização, substituindo serviços terceirizados por colaboradores próprios nas três distribuidoras do Nordeste – Neoenergia Coelba (BA), Neoenergia Pernambuco (PE) e Neoenergia Cosern (RN). Até 2022, será concluída a contratação de 5,3 mil profissionais de diversas áreas nas três primeiras etapas do projeto, que foi iniciado em 2017. Para viabilizar o aumento no número de vagas, foi necessário ampliar também as estruturas das empresas e aplicar uma robusta estratégia de gestão de projetos. 

A primarização possibilita benefícios como ganhos operacionais, melhor qualidade dos serviços, condições de trabalho mais seguras e uma maior flexibilidade no atendimento às demandas diárias, além de aumento da produtividade. 

“Com a internalização, os colaboradores contratados passam por atividades de treinamento e engajamento, que estimulam o compromisso com a cultura da companhia, baseada na colaboração e na sustentabilidade. Além disso, conseguimos beneficiar as nossas áreas de concessão com o estímulo da economia em um momento tão desafiador, promovendo a geração de empregos apesar do cenário de crise”, afirma a superintendente de Recursos Humanos da Neoenergia, Adriana Teixeira. 

As contratações acontecem em diversas áreas da companhia, como reestabelecimento de energia, serviços de poda de árvores e manutenção de subestações e linhas de subtransmissão, por exemplo. Na fase atual do programa, destacam-se os serviços comerciais que possuem contato direto com o cliente, que integram atividades como inspeções e novas ligações. Desde 2019, mais de 2,8 mil colaboradores já foram contratados nessa etapa da internalização, dos quais mais de 2,3 mil são para esse setor, entre eletricistas e profissionais de posições de suporte operacional, ocupadas por engenheiros, analistas, técnicos e assistentes. Novas vagas serão abertas até fevereiro do próximo ano, chegando a 3,1 mil funcionários apenas nesse ciclo. 

Entre os contratados estão profissionais formados pela Escola de Eletricistas, iniciativa criada pela Neoenergia para impulsionar a capacitação nas áreas de concessão e oferecer oportunidades de trabalho a moradores desses estados. Em uma estratégia para promover diversidade e inclusão, a companhia criou turmas exclusivas para mulheres na Neoenergia Coelba e na Neoenergia Pernambuco, ação reconhecida como exemplo global de um dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, na sigla em inglês) pelo WeEmpower, programa da ONU Mulheres junto à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e à União Europeia para estimular boas práticas das empresas. 

Crescimento da operação 

O aumento no número de profissionais levou a mudanças na cultura e na logística operacional das distribuidoras. O desafio de atender múltiplas variáveis e indicadores requer o desenvolvimento de soluções inovadoras, mudanças de processos, tecnologia, estrutura e capacitação dos profissionais contratados. 

O projeto impacta toda a companhia, mais de 10 mil colaboradores, reunindo, entre outras, as áreas de recursos humanos, infraestrutura, frota veicular, tecnologia da informação e os departamentos de controle e operações. Visando a integração entre todas as áreas, nos níveis de liderança e equipes operacionais, o projeto precisou solucionar questões como a superação de distâncias geográficas nas áreas de concessão e o alto volume de contratações com a integração de uma média de mais de 150 colaboradores por mês desde 2019. 

“Criamos uma estratégia de gestão de projetos que tem como destaque a estruturação da governança, estabelecendo o escopo, estudos prévios e o acompanhamento periódico de todas as áreas envolvidas no projeto, dos profissionais que atuam nas bases até as altas lideranças da companhia”, explica o superintendente de Desenvolvimento e Aplicação da Distribuição, Carlos Eduardo Soares. 

Dois exemplos da complexidade do projeto são a padronização dos sistemas nas três distribuidoras e a ampliação dos números de bases operacionais. Com isso, foi possível reduzir os deslocamentos e melhorar o tempo de atendimento, o que se reflete na qualidade dos serviços prestados aos clientes. Antes, as três concessionárias totalizavam 60 unidades, enquanto no fim dessa etapa do projeto, em 2022, vão somar 227, sendo 147 na Neoenergia Coelba, 57 na Neoenergia Pernambuco e 23 na Neoenergia Cosern. ​


Quero:

Informações Relacionadas