14/06/2021

Neoenergia celebra o Dia Mundial do Vento

    sustentabilidade


  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​​Empresa investe em geração de energia eólica e contribui com descarbonização da economia. Complexo Eólico Chafariz, em conclusão ainda neste ano, ampliará matriz eólica da companhia em mais 471,2 MW 


Para a Neoenergia, o combate às mudanças climáticas​ é um norteador de seus negócios, fortalecendo o seu compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas. Alinhada à política global da Iberdrola, sua controladora, a empresa possui a meta de neutralizar as emissões de carbono até 2050. Uma das estratégias é o massivo investimento em energia eólica, uma fonte limpa e renovável, que não emite dióxido de carbono em sua operação. Neste 15 de junho, quando é celebrado o Dia Mundial do Vento, a empresa reforça esse posicionamento. Somente no primeiro trimestre de 2021, a companhia investiu R$ 416 milhões em geração eólica – cerca de 25% do total investido durante o período – em especial nos projetos em implantação. Atualmente, a companhia tem capacidade instalada de 516 MW em energia eólica. Até 2023, a potência do grupo vai triplicar, chegando a 1,6 GW, com a conclusão dos novos complexos de Chafariz (PB) e Oitis (PI e BA). 

A Neoenergia tem como um de seus pilares a expansão e investimento robusto em recursos naturais e inesgotáveis, como o vento. Com isso, contribui para o desenvolvimento sustentável do planeta, já que a energia eólica é considerada limpa, por não emitir gases de efeito estufa na atmosfera, além de gerar desenvolvimento econômico e social para o país, afirma a superintendente de Desenvolvimento de Negócios Renováveis da Neoenergia, Thaisa Almeida. 

De acordo com a Associação Brasileira da Energia Eólica (ABEEólica), a geração eólica corresponde a 10,3% da matriz elétrica nacional, ou 19 GW de capacidade instalada. Até 2024, a expectativa é que esse número chegue a 28 GW. A Neoenergia contribui com esse cenário através dos seus 44 parques eólicos, todos alocados no Nordeste, sendo 17 em operação e 27 em construção. Dessa forma, a companhia responde por cerca de 5% da geração de eólica na região, com expectativa de crescimento de 15% até 2022. 

Expansão 

Ainda neste ano, a Neoenergia dará mais um passo na expansão da geração eólica no Brasil – quando os 15 parques do Complexo Eólico Chafariz devem entrar em operação. Localizado na Paraíba, o empreendimento possui capacidade instalada de 471,2 MW. O Complexo terá ainda sinergia operacional com outros ativos da Neoenergia, como o complexo solar Luzia, os dois primeiros parques de geração fotovoltaica da companhia destinados à comercialização de energia no mercado livre. Com previsão de entrada em funcionamento no segundo semestre de 2022, as obras do empreendimento já foram iniciadas. 

O Complexo Eólico Oitis, que contabiliza 12 parques em construção entre o Piauí e a Bahia, terá 566,5 MW de potência e será o maior empreendimento eólico da Iberdrola na América Latina. A companhia conta com uma carteira robusta e sustentável de projetos em desenvolvimento, além de também apostar em aquisições que agreguem valor, como a veiculada operação de compra de  um projeto eólico complementar a carteira existente  com potencial de aproximadamente 400 MW na Serra da Gameleira, no estado da Bahia, em 2020. 

As iniciativas também contribuem com a geração de emprego e renda, proporcionando benefícios socioambientais para as regiões dos parques em construção. Em Oitis, cerca de 40% da mão de obra empregada é local desde o início das obras, entre novembro de 2020 e janeiro de 2021. Até a entrega do novo empreendimento, a expectativa é de criar 1,5 mil postos de trabalho. Já em Chafariz, foram criados 1,4 mil postos de trabalho na região. Juntas, as obras devem superar mais de 3 mil postos de trabalho no Nordeste brasileiro com a sua conclusão.




Quero:

Informações Relacionadas