10/02/2021

Entenda o caminho da energia, da geração à distribuição

    energia


  • Sim
  • Sim
  • Sim

​​​​​​

Você já se perguntou como a energia que é produzida em usinas hidrelétricas localizadas tão longe da sua casa chega até a sua tomada? Entre a geração e o consumo final, há milhares de quilômetros de linhas e subestações de transmissão e distribuição por onde a energia passa. A Neoenergia está presente em todas as etapas desse percurso, sempre investindo nas mais modernas tecnologias para beneficiar os clientes e a sociedade em todos os 18 estados onde atua, além de dar mais eficiência aos negócios e contribuir com a segurança do setor elétrico brasileiro. 

Hoje, cerca de 65% da energia gerada no Brasil é hidráulica, produzida a partir da água dos rios. Isso quer dizer que a maior parte da energia é de uma fonte limpa, o que auxilia no combate às mudanças climáticas por não consumir o recurso natural no processo de produção nem emitir gases do efeito estufa. Compromissada com a preservação do meio ambiente, na Neoenergia, não é diferente: dos 4,08 GW de capacidade instalada em operação, 3 GW estão em sete usinas hidrelétricas – Itapebi (BA), Corumbá (GO), Baguari​ (MG), Teles Pires (MT/PA), Dardanelos (MT), Belo Monte (PA) e Baixo Iguaçu (SC/PR). 

Além disso, a companhia se destaca pela geração eólica. Já estão em operação 17 parques eólicos nos estados da Bahia, do Rio Grande do Norte e da Paraíba, totalizando 515,8 MW. Essa capacidade será triplicada com a conclusão dos dois complexos eólicos que estão em construção no Nordeste, que farão com que a empresa atinja potência de 1,5 GW a partir dos ventos, energia suficiente para abastecer 10 milhões de pessoas, população de um país como Portugal. 

A energia produzida nessas e em outras usinas passa primeiro por uma subestação de transmissão, onde equipamentos chamados transformadores elevam a tensão. Esse procedimento é realizado para evitar perdas nas longas distâncias que serão percorridas desde a produção até os pontos de consumo, que ficam, em sua maior parte, nos centros urbanos. No Brasil, os pontos de produção e transmissão da energia que chega às residências estão conectados por meio do Sistema Interligado Nacional (SIN). É isso que permite que a energia gerada no Nordeste chegue ao Sudeste, por exemplo. 

Neoenergia tem forte participação no mercado brasileiro de transmissão, com empreendimentos em operação nos estados de São Paulo, Bahia, Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Estão em construção outros sete projetos, que atenderão, além desses estados, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Tocantins, Piauí e Maranhão. No último leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em dezembro de 2020, a companhia adquiriu o maior trecho, com 1.091 quilômetros de extensão e uma nova subestação. 

Após passar pelas subestações e linhas de transmissão e chegar às cidades, a energia passa por mais uma subestação, desta vez de distribuição. Lá, o processo é o contrário: de reduzir a voltagem para que ela possa ser entregue aos pontos residenciais, comerciais e industriais com segurança. Depois, a energia vai pelos cabos e ain​da é submetida a mais uma diminuição na tensão, que fica adequada ao consumo. As quatro distribuidoras da Neoenergia – Coelba (BA), Celpe​ (PE), Cosern (RN) e Elektro​ (SP/MS) – contam com tecnologias que fazem com que o serviço seja oferecido aos seus mais de 14 milhões de clientes com qualidade, eficiência e segurança. Infográfico: o caminho da energia

 ShP - Certificado Verde

Quero:

Informações Relacionadas