03/12/2020

Neoenergia vence leilão de privatização da CEB Distribuição e leva ativo por R$ 2,5 bilhões

    negócios
  • Sim
  • Sim
  • Sim


 slider-image | Titulo do Slider


 

A Neoenergia acaba de arrematar o ativo da CEB Distribuição, localizada em Brasília, no leilão de privatização da estatal, que aconteceu hoje (4/12). Com o aporte de R$ 2,5 bilhões, a companhia, representada pela subsidiária Bahia Geração de Energia, venceu a disputa e prevê crescimento significativo, mantendo a qualidade e eficiência nos negócios. O CEO da Neoenergia Mario Ruiz-Tagle, comenta a recém conquista da empresa. 

Qual a estratégia para aquisição da CEB? Quais são os próximos passos? 

Temos a intenção de crescer com ativos de primeira qualidade. Sem nenhuma dúvida, a distribuidora de Brasília é uma companhia de ótima qualidade que está no mundo público. Seus ativos permitem ter foco, fundamentalmente, em três grandes questões: investimento de forma eficiente, a aprimorar a meta de qualidade regulatória, ter um gasto eficiente na operação para criar e contribuir com um espaço para a modalidade tarifária e junto com isso, criar valores para os nossos acionistas.  

Vamos incorporar muita gestão à companhia, trabalhar próximo ao governo e pensar que a energia elétrica representa a veia do Brasil, onde corre o sangue de Brasília, essa é a energia que queremos transmitir e dessa forma que trabalharemos nos próximos meses. Investiremos onde a empresa estiver precisando, nos últimos anos houve uma queda importante de recursos e isso será rapidamente reposto.  

Nós entendemos que as metas de qualidade impostas foram um dos incentivos para participar do leilão. Acredito que o trabalho desempenhado pelo BNDES, governo do Distrito Federal e Ministério das Minas e Energia para proporcionar tempo suficiente e enquadrar a companhia nestas metas vai nos permitir, sem dúvida, alcançá-las. Temos capacidade de investimento e um histórico de crescimento em nossas empresas. Nossa estratégia é fazer com a CEB o que fazemos nas empresas do grupo. 

Quanto foi o investimento para vencer a disputa? Impactará de alguma forma na operação da empresa? 

Investimos mais de R$ 2,5 bilhões para vencer esta disputa, que representa o preço de aquisição de 100% das ações de emissão da CEB-D. A companhia tem acesso ao mercado, como demonstrado nos últimos anos, com muito boas condições e faremos dessa forma no mercado financeiro. 

A capacidade de execução de investimentos da Neoenergia é possível ver na Coe​lba​ (BA), na Celpe (PE), na Cosern (RN), na Elektro​ (SP/MS), é histórica! Nós investimos valores expressivos, na ordem de R$ 3,5 bilhões por ano, tanto em expansão quanto em melhoria da rede e eficiência. Todos podem ficar tranquilos que nós, na Neoenergia, sabemos fazer o que é necessário em Brasília, conhecemos perfeitamente bem a companhia, a estudamos bastante e, por isso, conseguimos oferecer um preço dessa magnitude e confiar que teremos a rentabilidade para os nossos acionistas. 


É possível prever se haverá redução de tarifa? Qual sua visão no médio prazo? 

As tarifas são reguladas pela Aneel, a agência reguladora, por meio de um processo muito técnico e testado durante anos. Estamos, atualmente, no quinto ciclo de revisões tarifárias das companhias de distribuição. O nosso trabalho é investir para melhorar a qualidade, investir de forma eficiente para que os investimentos sejam adequadamente repassados na tarifa e, o mais importante, é que temos um desafio, que é proporcionar energia suficiente e a um custo razoável, para o crescimento do Brasil. Esse é o nosso foco.  

SOBRE A NEOENERGIA

Companhia de capital aberto com ações (NEOE3) negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo. Parte do grupo espanhol Iberdrola, a empresa atua no Brasil desde 1997, sendo atualmente uma das líderes do setor elétrico do país. Presente em 18 estados, seus negócios estão divididos nas áreas de geração, transmissão, distribuição e comercialização. As suas distribuidoras, Coe​lba​ (BA), na Celpe (PE), na Cosern (RN), na Elektro​ (SP/MS), atendem a mais de 14 milhões de clientes, o equivalente a uma população superior a 34 milhões de pessoas. 

A Neoenergia possui 4 GW em geração, sendo 88% de energia renovável, e está implementando mais 1 GW com a construção de novos parques eólicos. Em transmissão, são 679 km de linhas e cerca de 5.000 km em construção. Por meio do Instituto Neoenergia, fomenta o desenvolvimento sustentável a partir de ações socioambientais e, assim, contribui para a melhoria da qualidade de vida das comunidades onde a empresa atua, sobretudo, pessoas mais vulneráveis, visando sempre pelo desenvolvimento sustentável. A partir de janeiro de 2021, a Neoenergia passa a integrar a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 – Brasil, Bolsa, Balcão – que reúne companhias que possuem as melhores práticas de governança e sustentabilidade corporativa. 

Quero:

Informações Relacionadas