Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Projeto da Usina Teles Pires ganha Prêmio Jatobá 2018​


AGENTE_PRINT_MUNDURUKU_RADIO_AMADOR.jpg

O projeto da Usina Hidrelétrica Teles Pires, controlada pelo Grupo Neoenergia, ganhou o Prêmio Excelência e Inovação em PR 2018 (troféu Jatobá) com o case “Pro​grama interação e comunicação social indígena da Hidrelétrica Teles Pires: um desafio de relacionamento no coração da Amazônia”. A premiação é uma conquista significativa já que representa um grande progresso na relação e comunicação da usina, localizada na divisa dos estados de Mato Grosso e Pará, com as comunidades em seu entorno. 

Concorrendo na categoria “Projeto Especial”, o case ganhou destaque por sua abrangência, ineditismo, criatividade, inovação, oportunidade, relevância, ousadia e singeleza. Como grande diferencial, a iniciativa contou com a atuação de três agentes de comunicação indígenas, além de especialistas em temas de abrangência socioambiental, que foram capacitados para trabalharem continuamente nas ações desenvolvidas pelo empreendimento. A iniciativa apresenta a importância na retomada do relacionamento com base em uma comunicação participativa da comunidade indígena, com mais assertividade, linguagem clara e escuta. O projeto foi desenvolvido pela agência Print Comunicação nas aldeias de três etnias, Munduruku, Kayabi e Apiacá.

 

Para o sucesso do projeto, foram traçadas estratégias que possibilitassem a locomoção dos especialistas pela região. A logística para acesso às localidades envolvia um deslocamento de quatro horas de carro, entre asfalto e estradas de barro, além de 12 horas em um pequeno barco comandado por pilotos indígenas. Apesar dos desafios, foi possível construir um diagnóstico de comunicação nas 14 aldeias da região, permitindo o avanço do projeto que contou com 80 entrevistas presenciais, individuais e coletivas, com lideranças, mulheres, jovens e idosas.

Com a análise dos resultados, a agência de comunicação construiu um plano de ação com as comunidades, que foi aprovado pela Fundação Nacional do Índio (FUNAI) em fevereiro de 2018.

 

Destaques das ações do programa: 

· O trabalho de comunicação diário é realizado pelos comunicadores indígenas (um de cada etnia) que estão em contato permanente com a equipe em Alta Floresta (MT) por meio de rádio amador.

· O uso de plataforma de comunicação online como o Whatsapp e Facebook, também fazem parte da estratégia. A usina instalou equipamentos de satélite para este fim. No ​entanto, o seu uso é restrito a algumas horas do dia e também direcionada aos mais jovens, pois a maioria da população não possui celulares, e muitos só falam a língua nativa.

· O comunicador com base em Alta Floresta viaja para as aldeias durante 10 dias de cada mês, acampando nas aldeias polos e percorrendo as aldeias menores de barco, sempre acompanhado pelo agente de comunicação indígena.

· São realizadas cerca de 500 visitas por mês, presenciais, para  esclarecimentos sobre os vários programas realizados pela usina e para a intermediação das demandas.

· Mensalmente é produzido um boletim mensal com as notícias mais relevantes que é fixado nos murais das aldeias cujo formato foi modificado para melhorar a visibilidade na leitura e a compreensão nas informações.

· Além desta estratégia de fixação no mural, o diferencial desta ação é que a leitura deste boletim é realizada pelo comunicador e traduzida pelos agentes de comunicação indígenas na língua nativa para grupos e ou individualmente no porta a porta.

· Os atendentes do rádio amador que ficam baseados na sede da usina passaram por um processo de capacitação intensivo já que este equipamento funciona todos os dias, incluindo finais de semana.

· O sistema de radiocomunicação com o fluxo otimizado é considerado um grande avanço pelas lideranças indígenas e, de março a outubro de 2018, já atendeu 90 chamadas provenientes das 14 aldeias Kayabi, Munduruku e Apiaká.  E o prazo de resposta a estas demandas não ultrapassou 24 horas. 

 

Sobre o prêmio:

O Prêmio Jatobá reconhece o ciclo de desenvolvimento, prestígio, evolução técnica e diversificação de portfolio das agências e congêneres do mercado de PR (Public Relations, ou Relações Públicas) do Brasil e da América Latina. O objetivo é ser uma espécie de indicador de qualificação técnica e de desempenho para o mercado, uma certificação de excelência na atividade de PR. O programa da Usina Hidrelétrica Teles Pires de interação e comunicação social indígena atingiu todos os quesitos exigidos pela premiação, e foi o grande vencedor na categoria projeto especial de 2018. A cerimônia de premiação do Troféu Jatobá ocorreu no dia 8 de novembro, no Renaissance São Paulo Hotel.

 

Sobre a Usina Teles Pires:          

A Usina Hidrelétrica Teles Pires, construída no Rio Teles Pires, afluente do rio Tapajós, na divisa dos estados do Pará e Mato Grosso, entre os municípios de Jacareacanga (PA) e Paranaíta (MT), tem potência instalada de 1.820 megawatts, energia suficiente para abastecer uma população de cinco milhões de habitantes.

                     ​ 

 

 

                     ​ 



 ​