Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Com quatro lotes conquistados, Neoenergia é o destaque no Leilão de Transmissão da Aneel ​


A Neoenergia foi a concorrente de maior destaque no Leilão de Transmissão 04/2018 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o último do ano, realizado na manhã desta quinta-feira (20/12) na Bolsa de Valores (B3), em São Paulo. A empresa arrematou os lotes 1 (o maior em disputa), 2, 3 e 14, que incluem linhas e subestações nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. Os investimentos previstos nesses quatro lotes pela Aneel são da ordem de R$ 6 bilhões. Foram ao todo leiloados 16 lotes.

“Esta é mais uma imensa conquista do Grupo Neoenergia, mostra a nossa força no setor de Transmissão e contribui, ainda mais, para o crescimento do negócio. Com esse resultado, construiremos mais 3.000 quilômetros de linhas, um aumento de 130%”, comemorou Cristiane Fernandes, diretora de Planejamento de Redes e Investimentos da Neoenergia. A Receita Anual Permitida (RAP) da Neoenergia, que é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações, será de R$ 500 milhões com os quatro lotes conquistados.

O lote 1 possui 1.097 km de linhas de transmissão e 6.504 megavolt-ampère (MVA) de potência para atendimento elétrico às regiões Norte e do Vale do Itajaí, em Santa Catarina. A obra tem prazo de 60 meses e geração estimada de 5.583 empregos diretos. A Neoenergia apresentou um lance de R$ 194,1 milhões ante o máximo de R$ 452,3 milhões para a RAP – um deságio de 57,07%. Os investimentos previstos no lote 1 são de R$ 2,8 bilhões.

Para vencer o lote 2, a Neoenergia fez a oferta de R$ 117 milhões, o que representa um deságio de 46,97% ante a RAP máxima de R$ 220,6 milhões prevista pela Aneel. O lote 2 é composto por 656 quilômetros de linhas de transmissão para escoamento do potencial termelétrico dos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. O prazo das obras é de 60 meses, com geração estimada de 2.662 empregos diretos e investimentos de R$ 1,3 bilhão.

Já o lote 3, também arrematado pela Neoenergia, chegou à disputa em viva voz com a Taesa. A Neoenergia sagrou-se vencedora ao apresentar lance de R$ 69,1 milhões ante uma RAP teto de R$ 125,4 milhões estabelecida pela Aneel (deságio de 44,9%). O lote 3 está localizado entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais e é formado por uma linha de 478 quilômetros, que ligará a Subestação Mutum, em Minas Gerais, à Subestação Campos 2, no Rio de Janeiro. Com investimentos de R$ 760 milhões, a obra tem prazo de entrega de 60 meses e estimativa de geração de 1.507 empregos diretos.

A Neoenergia também arrematou o lote 14, com oferta de R$ 120,9 milhões, um deságio de 39,99% em relação à RAP inicial estabelecida pela Aneel de R$ 201,5 milhões. Os empreendimentos que compõem o lote 14 – quatro linhas de transmissão totalizando 769,3 quilômetros e duas subestações – visam à integração do potencial eólico do estado do Rio Grande do Sul, e ao atendimento elétrico das regiões Sul e Extremo Sul de Santa Catarina. As obras têm prazo de 60 meses e expectativa de geração de 2.429 empregos diretos. Os investimentos são de R$ 1,2 bilhão.